Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Professores e alunos foram premiados no 1º Concurso Artístico Farmácia Vai à Escola

Publicação:

Várias pessoas de pé e de máscara no auditório do Centro Administrativo. Algumas seguram um tablet e um certificado.
Três professoras e 17 alunos foram premiados nesta segunda-feira (29/11) - Foto: Marília Bissigo/Divulgação SES

Três professores e 17 alunos receberam, nesta segunda-feira (29/11), a premiação do 1º Concurso Artístico Farmácia Vai à Escola, promovido pela Secretaria da Saúde (SES). O evento, ocorrido no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), em Porto Alegre, marcou a entrega de tablets e certificados aos vencedores das 2ª e 28ª Coordenadorias Regionais de Educação (CRE), de um total de 66 premiados em 13 CRE. Os demais vencedores receberão seus prêmios nas próximas semanas nas suas regiões. Concorreram 128 trabalhos nas categorias audiovisual, gráfico ou textual.

A estudante do 2º ano do Ensino Médio do Instituto Estadual de Educação Sapiranga, Juliana Grabrieli Klein Dreyer, disse que foi de extrema importância aprender em sala de aula sobre o descarte correto de medicamentos e sobre o consumo de medicamentos sem receita. “Esse é um assunto que não é falado no dia a dia. Me ajudou a construir minhas ideias sobre medicamentos”, completou Juliana, que recebeu o 1º lugar entre os trabalhos da 2ª CRE.

Hágata fala de pé, segurando um microfone. Atrás, Roberto; Ana Costa e Cláudia, sentados atrás de uma mesa. Todos estão de máscara.
Hágata Rafaella Dias tirou o 1º lugar entre os trabalhos da 28ª CRE - Foto: Marília Bissigo/Divulgação SES

A aluna Hágata Rafaella Dias, da Escola Estadual de Ensino Médio José Maurício, em Gravataí, tirou o 1º lugar entre os trabalhos da 28ª CRE. Ela agradeceu às Secretarias da Saúde e da Educação pela iniciativa: “Desenho desde os 7 anos e trabalho com designer gráfico. O tablet me ajudará muito profissionalmente”.

“Estou no magistério há 27 anos e esse é o meu primeiro prêmio. Fizemos um belo trabalho de conscientização, até com palestra online que foi muito bem recebida pelos alunos. Essa premiação de hoje é o resultado de tudo isso. Não imaginávamos que iríamos ganhar”, falou uma das professoras premiadas, Márcia Reniza Peglow, do Instituto Estadual de Educação Sapiranga.

Márcia fala de pé, segurando um microfone. Atrás, Roberto; Ana Costa e Cláudia, sentados atrás de uma mesa. Todos estão de máscara.
Professora Márcia Reniza Peglow, do Instituto Estadual de Educação Sapiranga, falou sobre o trabalho em sala de aula - Foto: Marília Bissigo/Divulgação SES

O concurso
O concurso fez parte da Campanha pelo Uso Racional de Medicamentos do Programa Saúde na Escola, em parceria com a Secretaria da Educação e Instituto Nacional de Assistência Farmacêutica e Farmacoeconomia (Inaff). Ele foi destinado a estudantes matriculados em escolas públicas municipais e estaduais do Rio Grande do Sul, das séries finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano); novo ensino médio (1º ao 3º ano) e da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

O objetivo foi incentivar o conhecimento e a reflexão sobre o uso racional de medicamentos por estudantes de escolas públicas, alertando para que não seja prejudicada ou banalizada a sua utilização no processo terapêutico. “Remédios podem curar, matar ou causar dano, dependendo da forma em que são utilizados, com responsabilidade ou não”, ressaltou o presidente do Inaff, Lindemberg Assunção Costa, na sua participação em vídeo para o evento.

A diretora adjunta da Saúde, Ana Costa, concordou: “Muitas pessoas agravam seu estado de saúde pelo mau uso dos medicamentos. Eles são nossos aliados desde que usados e guardados corretamente. Vocês, alunos e professores, estão nos ajudando a mudar um problema de saúde pública, a despertar o interesse por esse assunto nas comunidades”.

O diretor do Departamento de Assistência Farmacêutica, Roberto Schneiders, explicou que “não adianta ter o remédio na farmácia e não ter todo o cuidado necessário. É importante saber utilizá-lo da maneira correta”. Para isso, o concurso ajuda a gerar conhecimento e disseminar informação nas famílias: “Se discute o que é remédio, a forma correta de descartá-los e outros assuntos referentes a essa área”. A coordenadora do Programa Saúde na Escola, da Secretaria da Educação, Cláudia Poli, destacou a qualidade e criatividade dos trabalhos que concorreram aos prêmios, e a importância de envolver a comunidade.

A lista dos trabalhos vencedores pode ser acessada na Lista de Premiados.

Veja a apresentação com os trabalhos premiados nesta segunda-feira (29/11).

Secretaria da Saúde