Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Hepatites virais

As Hepatites A, B e C são inflamações no fígado causadas por diferentes tipos de vírus, constituindo um grave problema de saúde pública no mundo. Os tipos B e C podem causar doenças graves como cirrose e câncer e todos os tipos de hepatite podem levar à morte. 

Milhões de pessoas no Brasil podem ser portadoras desses vírus e não saber.  

 

Hepatite A

Sua transmissão se dá pela ingestão de água ou alimentos contaminados pelo vírus e pelo contágio oral- fecal.

Previna-se ingerindo água tratada ou fervida, lavando bem alimentos crus (frutas, verduras e legumes), cozinhando bem peixes, mariscos e crustáceos e higienizando as mãos após usar o banheiro.

Outra forma de proteção é a vacinação de crianças de 15 meses a menores de cinco anos. A vacina está disponível gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Hepatite B

Sua transmissão se dá por relação sexual desprotegida, pelo compartilhamento de materiais no uso de drogas injetáveis, inaladas e pipadas e uso de materiais não esterilizados (alicates de unha, aparelhos de barbear e depilar, instrumentos de tatuagem e piercings, materiais cirúrgicos ou odontológicos).

Caso a mãe seja portadora, ela pode transmitir o vírus para o bebê durante a gestação e parto. Por isso, a vacina é recomendada para todas as gestantes.

A vacina é disponibilizada gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) à todo cidadão. As crianças devem se vacinar ao nascer e aos 2, 4 e 6 meses. Para os adultos que não se vacinaram na infância, são recomendadas três doses.

 

Hepatite C

Procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima e faça o teste rápido! O diagnóstico precoce e o tratamento são os principais meios para cura.

Sua transmissão se dá pelo compartilhamento de materiais no uso de drogas injetáveis, inaladas e pipadas, por relação sexual desprotegida e uso de materiais não esterilizados (alicates de unha, aparelhos de barbear e depilar, instrumentos de tatuagem e piercings, materiais cirúrgicos ou odontológicos).

Quem recebeu transfusão antes de 1993 também corre o risco de ter sido contaminado.

Como não existe vacina para hepatite C, as melhores formas de se prevenir são através do uso de preservativos em todas as relações sexuais e o não compartilhamento de materiais contaminados.

Arquivos anexos

Conteúdos relacionados

Secretaria da Saúde