Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Estado abastece municípios com mais de 200 mil doses contra a covid-19

Publicação:

A imagem mostra uma mão segurando uma caixa de vacinas. Outras caixas estão em outra caixa. Atrás disso, tem duas caixas de isopor.
As doses foram encaminhadas para as Coordenadorias Regionais de Saúde. - Foto: Itamar Aguiar/Palácio Piratini

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) iniciou nesta terça-feira (22/11) a distribuição de mais de 200 mil doses de vacinas contra a covid-19. Serão atendidos todos os municípios que fizeram solicitação referente a doses para adultos, adolescentes e crianças a partir dos 3 anos de idade.

Ao todo, estão sendo distribuídas 143 mil doses de Pfizer adulto, 14 mil de Pfizer para adolescentes, 21 mil de Pfizer infantil (5 a 11 anos) e 23 mil doses de Coronavac (para crianças de 3 e 4 anos). As quantidades por cidade foram definidas de acordo com as solicitações que as secretarias municipais fizeram ao Estado.

Conforme explica a diretora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), Tani Ranieri, a queda na procura pelas vacinas nos últimos meses fez com que muitos municípios reduzissem o volume pedido. “Por isso, pontualmente, algumas cidades começaram a ter escassez nesses últimos dias, quando o aumento nos casos levou muitas pessoas a procurar a imunização”, comenta. “Mesmo nos caso de desabastecimento pontual em algum município, a SES se manteve durante todo esse período abastecida com doses, caso alguma cidade solicitasse reposição”, esclarece.

Mesmo fazendo essa semana a entrega desse montante, os estoques da SES não ficarão desabastecidos. Havendo a necessidade, mais doses podem ser enviadas para a cidade que venha a precisar. Semanalmente as 18 coordenadorias regionais de saúde recebem novas doses, onde os municípios podem fazer a retirada, conforme solicitação feita.

Veja aqui a tabela com o número de doses disponibilizado por município e tipo de vacina

Aumento nos casos e novas subvariantes

A diretora do Cevs ressalta que a identificação de novas subvariantes da Ômicron no Estado (a BQ.1 em 9 de novembro e a BE.9 em 21 deste mês) coloca a situação do Rio Grande do Sul em alerta. “Ambas variantes têm alta capacidade de transmissão, o que explica que na Semana 46 (entre 13 e 19/11) fossem registrados 2,6 mil novos casos no Estado, o que representa um aumento de 274% quando comparado à última semana de outubro”, aponta Tani.

Conforme ela, a vacinação em dia é a forma mais eficiente de bloquear a ocorrência de novos casos graves e evitar óbitos, limitando também o surgimento de novas variantes.

Segunda dose de reforço

A orientação da SES aos municípios em relação ao segundo reforço, quatro meses após o primeiro, é para que seja dada prioridade às pessoas com comorbidades entre 18 e 39 anos, pessoas com 40 anos ou mais e trabalhadores da saúde.

Doses em atraso

O Rio Grande do Sul tem hoje mais de 5,7 milhões de pessoas com a primeira dose de reforço e 1,9 milhão com a segunda. Porém o número de pessoas com alguma dose em atraso permanece alto. São 655 mil pessoas que fizeram a primeira dose do esquema primário que não voltaram para a segunda. Outras 3 milhões estão com o primeiro reforço em atraso, enquanto 2,2 milhões estão com o segundo reforço atrasado.

Mais informações sobre as coberturas vacinais, doses em atraso, dados por faixas etárias e cidades estão disponíveis no painel da SES, em vacina.saude.rs.gov.br.

Secretaria da Saúde