Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Secretaria da Saúde faz chamamento para as mulheres retomarem os cuidados do Outubro Rosa

Publicação:

Ana Costa fala enquanto outras três mulheres ouvem. Todas estão sentadas em poltronas em um palco com banners e bandeiras do RS e do Brasil.
Secretária adjunta Ana Costa falou sobre a publicação da cartilha da retomada dos cuidados - Foto: Divulgação SES/RS

Durante o Seminário Outubro Rosa: Mostra de Experiências e retomada de cuidados de saúde das mulheres, realizado na tarde desta segunda-feira (25) na Assembleia Legislativa do RS, a secretária adjunta da saúde, Ana Costa, destacou que a principal ação neste momento é fazer com que as mulheres procurem as unidades de saúde para os exames de rastreio de câncer de mama.

As mamografias de rastreamento devem ser realizadas por mulheres de 50 a 69 anos, uma mamografia a cada dois anos. A mamografia para avaliar uma alteração suspeita na mama é chamada de mamografia diagnóstica e poderá ser feita em qualquer idade quando há indicação médica. “Estamos fazendo um chamamento massivo com a ajuda dos gestores de saúde, da imprensa e também por meio de uma cartilha que publicamos sobre a retomada dos cuidados, orientando as secretarias municipais de saúde sobre a importância do retorno do atendimento à saúde da mulher e da vacinação”, explicou.

O evento também contou com a participação da secretária da Saúde, Arita Bergmann, por vídeo, saudando os presentes e as entidades parceiras na luta contra o câncer de mama no Estado.

A deputada Franciane Bayer, presidente da Frente Parlamentar sobre o Câncer na Mulher do legislativo gaúcho, disse que esse é um momento decisivo para trabalhar o acesso das mulheres nesta retomada: “Precisamos da sociedade civil unida para alcançar esse objetivo”. 

A coordenadora do Núcleo Jurídico da Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Ana Paula Ziulkoski, e a Secretária de Saúde de Nova Boa Vista e representante do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems), Daiane Desingrini, também participaram do painel.

A imagem mostra várias mulheres de máscaras sentadas na plateia, com distanciamento.
Público seguiu protocolos de distanciamento - Foto: Divulgação SES/RS

Na segunda parte do seminário, entidades de luta e apoio a mulheres contra o câncer de mama apresentaram suas ações de mobilização e prevenção à doença.

Uma mulher fala segurando o microfone enquanto um homem e outra ouvem. Os três estão sentados em poltronas.
Entidades como IMAMA/RS, Associação Apecan e Liga Feminina de Combate ao Câncer apresentaram suas experiências - Foto: Divulgação SES/RS

Com a pandemia de coronavírus, houve redução de aproximadamente 42 mil mamografias em comparação a 2019, representando uma queda de 32% entre 2019 e 2020. “As ações de prevenção e os atendimentos também diminuíram expressivamente porque os serviços ficaram sobrecarregados devido ao enfrentamento à Covid-19, e isso impactou negativamente na saúde da mulher”, afirmou a coordenadora da Política de Ciclos de Vida, Gisleine Silva.

Com relação ao câncer de mama, para 2021 foram estimados 66.280 casos novos, o que representa uma taxa ajustada de incidência de 43,74 casos por 100 mil mulheres. A taxa de mortalidade no Rio Grande do Sul tem uma taxa estimada de 18,49 casos para cada 100 mil mulheres.

Secretaria da Saúde