Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Idosos vacinados no início de março começam a receber a segunda dose da Coronavac nesta quarta, dia 7

Publicação:

Chegada a Porto Alegre está prevista para às 6h05 desta sexta-feira.

Parte das vacinas recebidas pelo RS no dia 2 de abril começaram a ser aplicadas nesta quarta-feira (7/4), como segunda dose do grupo prioritário de idosos das faixas etárias de 77, 78, 79 e 80 anos imunizados no início de março. Serão utilizadas 206.560 doses da CoronaVac (da remessa de 645.150 vacinas, a maior já recebida pelo Estado) para completar a imunização de todo esse grupo. Nota técnica do Ministério da Saúde sobre a distribuição da remessa de 2 de abril indica a destinação de parte das doses para a segunda aplicação (D2).

Na próxima semana, mais 193.000 doses da CoronaVac, que também vieram na remessa de 2 de abril, devem começar a ser aplicadas como segunda dose no grupo de idosos das faixas etárias de 73, 74, 75 e 76 anos, que tomaram a vacina do lote enviado ao Estado no dia 17 de março. Com esse quantitativo, será possível vacinar 61% do grupo.

“Estou com o coração na mão, porque ainda faltam 120 mil doses para atingir as 303 mil doses suficientes para vacinar 100% desse grupo ( 73-76 anos) com a segunda dose da CoronaVac. Espero que o Ministério da Saúde confirme a chegada de novo lote esta semana”, disse a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

No total, o RS recebeu 11 lotes que totalizam 2.861.600 vacinas, e não há nenhuma retenção de doses. Assim que chegam ao aeroporto, na capital, as vacinas são transportadas à Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi), onde são separadas em lotes, embaladas e enviadas às 18 coordenadorias regionais de saúde espalhadas pelo Estado.

Graças ao apoio de aeronaves das forças de segurança, as vacinas chegam às coordenadorias em menos de 24 horas após o desembarque. Na Ceadi fica apenas uma reserva técnica mínima para o caso de reposição de doses em algum município em caso, por exemplo, de dano no transporte ou queda de energia.

Da última remessa, com 645.150 vacinas, 411.030 foram reservadas para a segunda dose de idosos e profissionais da saúde – 399.560 da CoronaVac para idosos e 11.470 da AstraZeneca para profissionais da saúde vacinados com o lote do dia 24 de fevereiro.

No Estado, o grupo prioritário que está recebendo a vacinação da Covid-19 é estimado em 5.081.552 pessoas, contemplando idosos, profissionais da saúde, quilombolas, indígenas, pessoas com comorbidades e outros, sendo que 27,5% já receberam a primeira dose e 6,4% estão com o esquema vacinal completo.

A diretora do Departamento de Atenção Primária e Políticas de Saúde, Ana Costa, recomenda que os municípios ampliem a gama de profissionais de saúde capacitados a realizar a aplicação das vacinas, para além de enfermeiros, como farmacêuticos, dentistas, fisioterapeutas, biomédicos, e até mesmo profissionais de saúde em formação. “Neste momento, é preciso utilizar toda a força de trabalho possível”, afirmou Ana.

Outro apelo realizado pela Secretaria da Saúde é para que os vacinadores não deixem de registrar as doses aplicadas, com número de CPF ou Cartão Nacional de Saúde (CNS) da pessoa imunizada. A falta de registro do Sistema de Informação do Plano Nacional de Imunizações pode gerar erros no esquema vacinal, como aplicação em intervalos inadequados ou segunda dose com vacina de outro laboratório, por exemplo. “É importante fazer o registro também para darmos transparência aos números da campanha de vacinação para a população”, reforçou a secretária Arita.

Foram entregues aos municípios vacinas suficientes para vacinar os seguintes públicos:

- 100% dos idosos institucionalizados;
- 100% pessoas com deficiência institucionalizados;
- 100% dos profissionais de saúde;
- 100% dos povos indígenas;
- 100% dos povos e comunidades tradicionais quilombolas;
- 100% dos idosos de 70 anos ou mais.

Texto: Patrícia Specht/Ascom SES
Edição: Secom

Secretaria da Saúde