Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Assistência farmacêutica estadual recebe treinamento com foco no usuário

Publicação:

Secretária Arita fala com um microfone na mão. Plateia a esquerda, sentada.
Assistência Farmacêutica do Estado é discutida entre gestores e farmacêuticos. - Foto: Marília Bissigo/Divulgação SES

A Secretaria da Saúde (SES) está recebendo a contribuição do Instituto Nacional de Assistência Farmacêutica e Farmacoeconomia (Inaff) para planejar e qualificar a assistência farmacêutica no Estado, no âmbito do Sistema Único da Saúde (SUS). O primeiro encontro do Programa de Atualização em Assistência Farmacêutica (Proaf), que reúne profissionais que trabalham no setor no Estado e nas Coordenadorias Regionais de Saúde (CRSs) aconteceu nesta quinta (7) e sexta-feira (8), em Porto Alegre.

De acordo com a coordenadora-adjunta da Política da Assistência Farmacêutica, Simone Pacheco do Amaral, o objetivo é implantar rotinas de capacitação e oferecer mecanismos de fortalecimento da gestão do cuidado farmacêutico. “O atendimento das farmácias públicas precisa ser voltado ao paciente de forma integral e não apenas a mera dispensação de medicamentos”, explica. Os conhecimentos e os planejamentos realizados pelos farmacêuticos da Secretaria da Saúde deverão ser utilizados e replicados nos municípios de abrangência de cada CRS.

O professor do Inaff Charleston Ribeiro Pinto diz que o programa oferece uma plataforma de treinamento para gestores do SUS para que o uso e dispensação de medicamentos seja qualificado e racional. Além do Rio Grande do Sul, o projeto está sendo aplicado em Recife e será levado também para São Paulo ainda este ano. “Queremos entender as demandas da assistência farmacêutica em diferentes realidades do país, para que possamos aplicar a metodologia também nos outros estados”, informa.

A secretária Arita Bergmann participou do evento na manhã desta sexta-feira. Ela ressalta que, para além do conhecimento técnico que os profissionais devem ter, por exemplo, de armazenagem e da logística de distribuição dos medicamentos, é necessário pensar em primeiro lugar no usuário.

“Estou muito impressionado com o envolvimento e o comprometimento dos profissionais da Secretaria da Saúde aqui no Rio Grande do Sul. E isso é reflexo da gestão estadual, que entende a assistência farmacêutica como prioridade”, completa Charleston.

Secretaria da Saúde